Metaverso: você sabe o que é?

Compartilhe com um amigo!

Share on telegram
Share on whatsapp
Metaverso: você sabe o que é?

“Don’t dream your life, but live your dream” – MARK TWAIN

IMAGINE O SEGUINTE CENÁRIO:

Em São Paulo, você tem 1,70m, 80kg, cabelos castanhos, é solteiro, trabalha 12h por dia, sentado, numa sala com luz artificial, em frente a um computador, em uma empresa distante, há 40 minutos de trânsito da sua casa.

Costuma acordar atrasado, consome toma mais café e menos frutas do que deveria. Está sedentário e faz tempo que sua pele não fica bronzeada. 

Anda irritado, mais explosivo do que antes, ansioso, mexe no celular antes de dormir e tem uma sensação de sono ruim, acordando já cansado.

MAS, NO METAVERSO, A COISA É UM POUCO DIFERENTE

Você tem 1,85m (ganhou 15 cm), um corpo atlético, bem distribuído. Pratica natação e começou a jogar beach tennis, o que te trouxe um bronzeado incrível (você escolheu a opção “bronzeado” na hora de configurar seu avatar).

Tem uma família sorridente, vocês passam o dia entre a praia, o shopping e a casa em um condomínio, com três filhotes de labrador. Você não parece explosivo e nem ansioso. 

A expressão no rosto do seu avatar transmite felicidade e bem-estar sempre, todos os dias em que você liga seus óculos de realidade virtual.

IMAGINOU?! POIS ESTA NÃO É UMA REALIDADE TÃO DISTANTE

O Facebook mudou seu nome para Meta em 28 de outubro de 2021, anunciando a criação de seu Metaverso

Outras empresas, como a Decentraland e a Wonder, já oferecem espaços online em que podemos configurar nossas personas virtuais do jeito que quisermos. 

Esses avatares circulam por diversos ambientes, como shoppings, praias, fazendas, espetáculos de música e de dança, e se encontram com avatares novos e com velhos conhecidos do mundo real. 

SIM! Você vai poder convidar o avatar do seu pai para assistir a um show dos Beatles no Metaverso.

  • PERAÍ, MAS OS BEATLES NÃO EXISTEM MAIS!

Pois é. No Metaverso, eles podem existir pra sempre. 

Porém, não apenas de experiências vivem os Metaversos. Você vai poder comprar produtos, como roupas, óculos e obras de arte. Vai poder fazer uma tatuagem com um tatuador japonês renomado. Aliás, diversas empresas como a Nike, a Gucci e O Boticário já estão vendendo produtos no Metaverso. 

E quando eu falo em vender, é vender mesmo! Eles cobram por produtos virtuais e os entregam por meio de uma tecnologia chamada NFT (Non-fungible Token). 

Aliás, em dezembro de 2021, um terreno no Metaverso foi vendido por 2,4 milhões de dólares

ISSO PARECE MUITO DISTANTE PRA VOCÊ?

Vamos lembrar que no mundo dos games essas realidades paralelas já existem há anos. Em jogos como Second Life e The Sims, por exemplo, jogadores criam seus personagens, se casam, escolhem carreiras e conduzem a vida da maneira como bem entendem. 

A inovação proposta pelo Facebook e por outras empresas desse universo é exatamente oferecer uma experiência virtual muito mais sofisticada, por meio de sensores de movimento e de óculos virtuais.

A ideia é fazer com que o cliente sinta o cheiro de um perfume no Metaverso, como sente no mundo físico, por meio de um sensor em seu nariz. Será possível sentir o peso da raquete virtual e o impacto físico de uma bolinha de tênis rebatida pelo Federer ou pelo Nadal (sim, afinal, você vai poder comprar a experiência de jogar em Wimbledon com eles). 

Quem sabe, você vai até poder se consultar com um psiquiatra da MentalMe no Metaverso, nos consultórios virtuais da MentalMe (e claro, escolher se quer a vista para o mar ou para uma montanha no consultório). Já pensou nisso?

Esta conversa me parece infinita, como o próprio Metaverso, mas vou falar um pouco mais no vídeo acima.

AÍ EU TE PERGUNTO: Você acha que levaria seu jeito de ser pro Metaverso? Seus dilemas existenciais? Seu temperamento? Sua ansiedade? Você continua sendo você sem os seus sentimentos?

Afinal, se no mundo físico nos deparamos com a expressão “seja tudo o que você puder ser”, no Metaverso falamos em “seja tudo o que você quiser ser”

Até breve!

Dr. Thiago Genaro

Dr. Thiago Genaro

Tem graduação em Medicina (Famerp) e em Direito (USP). Residência médica em Psiquiatria pelo Instituto Bairral de Psiquiatria (em conclusão). Professor de Psiquiatria nos cursos de medicina da Afya Educacional. Na Psiquiatria, tem foco de interesse em ansiedade, depressão e em personalidades impulsivas e disruptivas. Fora da Psiquiatria, tem interesse em literatura, em natação, em cachorros e uma paixão imensa pelo mar.

Newsletter

Receba gratuitamente nossos conteúdos toda semana diretamente no seu e-mail.

Siga Nossas
Redes Sociais

Posts Recentes

Facebook

Categorias:

O tratamento de sucesso depende
da avaliação correta

A tecnologia auxiliando a psiquiatria de precisão, possibilitando diagnósticos mais acurados e, por consequência, tratamentos de mais resultado.

Assine a nossa newsletter

Receba gratuitamente nossos conteúdos toda semana diretamente no seu e-mail.