Insônia é sinal de depressão?

Compartilhe com um amigo!

Share on telegram
Share on whatsapp
Insônia é sinal de depressão

A insônia pode ser indício de um quadro já estabelecido de depressão ou também um fator de risco para que a doença se desenvolva. Fique atento!

Nada como uma boa noite de sono, não é mesmo? Afinal, é durante o sono que o organismo trabalha para restaurar as principais funções do corpo, entre elas, o reparo dos tecidos, o crescimento muscular e a síntese de proteínas. É também quando a pessoa repõe energias e regula o metabolismo – fatores essenciais para manter corpo e mente saudáveis.

Lembra quando seus pais diziam que é necessário dormir para crescer? Acredite, eles não estavam mentindo e, muito menos, brincando. O hormônio do crescimento é liberado durante o sono e crianças que dormem tarde tendem a ter uma estatura menor.

Dormir: prazer para uns, desafio para outros

Segundo a Associação Brasileira do Sono (ABS), 73 milhões de brasileiros sofrem de insônia. Essa questão, contudo, vai muito além do mal humor de quem é privado de sono.  Insônia é um problema de saúde com risco de morte para quem sofre com ela. E pode ser caracterizada de duas formas:

1. Dificuldade que uma pessoa tem em pegar no sono durante os 30 minutos em que já está deitada;

2. Incapacidade de dormir continuamente, sem interrupções e/ou despertar por mais de 30 minutos durante a noite.

O problema é sério e quem sofre com isso deve procurar tratamento, pois, além de privar o indivíduo de ter qualidade de vida, ainda pode ser sinal de alguma doença mental como depressão e ansiedade.

Depressão e insônia

A depressão é definida por um conjunto de funções alteradas no sistema nervoso, tais como a fisiologia das emoções, a fisiologia do sono, a fisiologia da velocidade e também do controle dos pensamentos, apetite, etc. Sendo assim, a insônia pode, sim, estar no “roteiro” da depressão como um dos principais sintomas da doença. A propósito, essa manifestação pode estar tanto na fase inicial da depressão, quanto na de manutenção ou terminal.

Dependendo do tipo de depressão que o paciente apresenta, a insônia pode se manifestar de formas diferentes. Os tipos de depressão conhecidos como Atípico ou Misto, por exemplo, costumam causar insônia no estágio inicial, enquanto que o tipo Ansioso oferece a insônia na fase de manutenção. Já na depressão melancólica, a insônia é predominantemente terminal.

Depressão Atípica: subtipo da doença que envolve sintomas específicos como aumento do apetite ou ganho de peso, fadiga, alteração no humor, etc;

Depressão Mista: é o que o próprio nome diz – uma mistura de sintomas como, por exemplo, a perda de energia misturada a ativação intensa dos pensamentos e atitudes;

Depressão Ansiosa: aquela que condiciona a pessoa a pensamentos inoportunos, geralmente, negativos;

Depressão melancólica: talvez a mais conhecida, em que o indivíduo apresenta sintomas como desânimo, desinteresse pelos outros ou por qualquer acontecimento mundo afora, perda da capacidade de amar etc.

Sinais de alerta

Outro alerta importante sobre o assunto é também saber diferenciar a insônia de uma má higiene do sono. Alguns hábitos podem prejudicar a manutenção do sono e sua excelência. Por exemplo, o uso do celular na cama, no momento de dormir, em que o cérebro precisa desligar, ou também assistir televisão até dormir podem atrapalhar a qualidade do sono, mas não chega a ser uma insônia.

É preciso empenho para atingir o melhor que o sono tem a oferecer. Porém, quando o problema, de fato, é a insônia, é preciso que a pessoa procure a ajuda de um médico psiquiatra para que, juntos, identifiquem a causa do problema. Ou seja, se a falta de sono faz parte de um quadro de alterações fisiológicas do funcionamento emocional do cérebro. Este é o primeiro passo para um tratamento definitivo.

Via de mão dupla

O ciclo sono-vigília e o funcionamento fisiológico cerebral têm uma relação que podemos caracterizar como uma “via de mão dupla”. Por quê? A falta de cuidado com o ritmo do sono pode levar a um mau funcionamento de diversos circuitos cerebrais, provocando problemas de saúde de caráter emocional ao cérebro. Logo, a insônia é um fator de risco para que a depressão se desenvolva. Como a febre, a insônia é um sintoma secundário, em que o tratamento consiste em combater as causas, não somente a ocorrência imediata. Dormir demais, pouco ou em horários inapropriados, pode atrapalhar a qualidade do sono.

A história clínica de cada paciente pode dizer muito sobre sua situação atual e problemas para dormir. No entanto, é preciso procurar ajuda antes que o problema se agrave. Dormir bem é essencial!

Acesse nosso site:

Dr. Giovani Missio

Dr. Giovani Missio

A Saúde Mental abrange um largo aspecto de funcionamento mental que vai desde a grave doença mental até o funcionamento de alta performance.

Newsletter

Receba gratuitamente nossos conteúdos toda semana diretamente no seu e-mail.

Siga Nossas
Redes Sociais

Posts Recentes

Facebook

Categorias:

O tratamento de sucesso depende
da avaliação correta

A tecnologia auxiliando a psiquiatria de precisão, possibilitando diagnósticos mais acurados e, por consequência, tratamentos de mais resultado.

Assine a nossa newsletter

Receba gratuitamente nossos conteúdos toda semana diretamente no seu e-mail.

Ops!! Antes de ir assine a nossa newsletter

Receba gratuitamente nossos conteúdos toda semana diretamente no seu e-mail.