Mas o que é Telemedicina e Telepsiquiatria?

Compartilhe com um amigo!

Share on telegram
Share on whatsapp
O que é telepsiquiatria?

Entenda como funcionam os tratamentos online.

Quando eu era criança, lembro do meu pai pedindo pizza na Guapirella, na zona norte de São Paulo. Lembro do motoqueiro buzinando, do cachorro latindo, do meu pai pegando o dinheiro e perguntando pra minha mãe “você tem trocado pra caixinha do motoqueiro?”

Pra além do aroma da pizza, do gosto do molho de tomate e do sabor da muzzarela derretida, eu ficava encantado com o processo!

O processo de ir até o telefone fixo (hoje o celular parece uma extensão da minha mão), discar (hoje eu aperto teclas virtuais) e conversar com um atendente (não me lembro quando foi a última vez que consegui “conversar com um atendente humano” nos últimos anos). E então, após uma hora, caso o motoqueiro não se perdesse (não havia GPS, acreditem) a pizza chegava quentinha (morna, talvez) em casa.

De lá pra cá, muita coisa mudou…

A tecnologia me permite pedir não apenas uma pizza – mas um doce, um uber, um banho no cachorro. Os aplicativos nos permitem fazer transações no banco, meditar ou fazer uma ligação de vídeo para aquele parente que mora na Itália, e que está lá se deliciando com sua pizza de muzzarela.

A tecnologia aproxima. A tecnologia nos oferece outras formas de contato. Outros jeitos de compartilhar ideias, problemas, emoções.

E a medicina não poderia se manter distante desse mundo novo do século 21.

A busca por consultas e tratamentos realizados de maneira remota aumentou consideravelmente nos últimos anos, especialmente em 2020, em decorrência da pandemia por COVID-19.

Imagine aquele paciente com diagnóstico de transtorno de pânico, assustado com o terror do início da pandemia, tendo mais crises de pânico e angustiado em ver sua receita terminando. Ou aquele filho cuja mãe com Alzheimer está mais confusa e agressiva mas impossibilitada de ir ao consultório médico pelo medo de contrair Covid.

Fica clara a importância da telemedicina nesses casos. A facilidade do contato, a rapidez do agendamento da consulta, a interação com o médico, a despreocupação com consultórios cheios, com o trânsito, com lugar para estacionar o carro!

ENTÃO, o que parecia um mundo distante, se tornou realidade a partir de 2020.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a telemedicina trata de:

“[…] serviços providos por profissionais da área da saúde usando tecnologias de informação e de comunicação para o intercâmbio de informações válidas para diagnósticos, prevenção e tratamento de doenças e a contínua educação de provedores de cuidados com a saúde, assim como para fins de pesquisas e avaliações; tudo no interesse de melhorar a saúde das pessoas e de suas comunidades.”

– OK, MAS O QUE ISSO SIGNIFICA?

Significa que a telemedicina é fruto dos avanços tecnológicos que revolucionam a medicina tradicional a cada dia, proporcionando diferentes formas de cuidado em diversas áreas da saúde, inclusive na psiquiatria.

O teleatendimento funciona igualzinho a uma consulta comum: o médico vai aparecer (numa tela) e vai cumprimentar o paciente. Eles iniciarão uma conversa com avaliação de sintomas, levantamentos de hipóteses diagnósticas e a proposição de um tratamento individualizado. Tudo de maneira de virtual, com empatia e acolhimento.

– E A CONSULTA COM MEU PSIQUIATRA NA MENTALME? COMO FUNCIONA?

Pra começar, você terá toda a estrutura da MentalMe à sua disposição: uma equipe humana te atendendo, agendando suas consultas e esclarecendo dúvidas.

Você será atendido sempre pelo mesmo médico. Temos uma equipe de médicos psiquiatras com uma formação de excelência nos melhores hospitais do Brasil, basta ver o currículo de cada um deles em nosso site.

Mais do que isso: entendemos que o virtual aproxima o médico do paciente. Então, nos preocupamos em descrever em nosso site não apenas a formação acadêmica dos nosso médicos, mas em mostrar também quem são eles pra além do consultório e do avental. Será que seu médico pratica esportes? Gosta de pizza? Ele tem filhos? Será que gosta de viajar ou tem medo de avião?

Esse entrosamento entre o médico e o paciente não fica só na consulta.

Você contará com um aplicativo não apenas para responder a escalas de acompanhamento do seu quadro, mas para interagir com seu médico !

A gente nota que o paciente fica inseguro, especialmente no início do tratamento medicamentoso. “Será que essa reação é normal? Será que eu vou ter algum efeito colateral? Não entendi se o remédio da noite interfere no da manhã”. Essas são algumas dúvidas que já recebemos pelo aplicativo.

Na MentalMe, por meio do nosso aplicativo, somos capazes de esclarecer dúvidas dos pacientes praticamente no mesmo dia. Você não se sentiria mais seguro em saber que pode interagir com seu médico psiquiatra por meio de um aplicativo?

E aí, lendo tudo isso, a tecnologia parece aproximar ou distanciar o médico do paciente ?

Escreva pra gente.

Vou ali pedir uma pizza pelo iFood e volto num próximo artigo.

Até lá!

Dr. Thiago Genaro

Dr. Thiago Genaro

Tem graduação em Medicina (Famerp) e em Direito (USP). Residência médica em Psiquiatria pelo Instituto Bairral de Psiquiatria (em conclusão). Professor de Psiquiatria nos cursos de medicina da Afya Educacional. Na Psiquiatria, tem foco de interesse em ansiedade, depressão e em personalidades impulsivas e disruptivas. Fora da Psiquiatria, tem interesse em literatura, em natação, em cachorros e uma paixão imensa pelo mar.

Newsletter

Receba gratuitamente nossos conteúdos toda semana diretamente no seu e-mail.

Siga Nossas
Redes Sociais

Posts Recentes

Facebook

Categorias:

O tratamento de sucesso depende
da avaliação correta

A tecnologia auxiliando a psiquiatria de precisão, possibilitando diagnósticos mais acurados e, por consequência, tratamentos de mais resultado.

Assine a nossa newsletter

Receba gratuitamente nossos conteúdos toda semana diretamente no seu e-mail.